Portal do Governo Brasileiro

OK

15/12/2011
Hage participa, nos EUA, de debate sobre transparência e integridade na América Latina e no Caribe

Em encontro realizado em sua sede, em Washington, nos EUA, o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) realiza nesta quinta-feira (15/12) uma mesa-redonda para debater o tema "Transparência e Integridade como Condições para o Desenvolvimento Sustentável". Durante o evento, que celebra o Dia Internacional contra a Corrupção, ocorrido no último dia 9 de dezembro, autoridades discutem progressos, desafios e oportunidades que assegurem a transparência e o combate à corrupção na América Latina e no Caribe.

O ministro-chefe da Controladoria-Geral da União (CGU), Jorge Hage, participa dos debates ao lado do presidente do BID, Luis Alberto Moreno; da subsecretária do Departamento de Estado norte-americano para Democracia e Assuntos Globais, Maria Otero; do ministro de Administração Publica do México, Joel Salas; e do presidente do Conselho de Transparência do Chile, Alejandro Ferreiro.

A ocasião busca aprofundar as discussões sobre os esforços internacionais anticorrupção; revisar a estratégia do BID; e compartilhar experiências de transparência e integridade nos EUA, México, Brasil e Chile.

Parte da missão de desenvolvimento do BID é melhorar a transparência e promover o combate à corrupção. Nos últimos anos, o Banco tem ampliado os esforços por mais transparência, reforçando o arcabouço anticorrupção, que é a marca registrada de todos os projetos financiados pela instituição.

Países da América Latina e do Caribe têm ressaltado cada vez mais que medidas pró-transparência e anticorrupção são políticas prioritárias. Vários países da região participam ativamente da Parceria para Governo Aberto, uma iniciativa global lançada em setembro de 2011.

Parceria para Governo Aberto

Em setembro deste ano, o ministro Jorge Hage participou, em Nova York, nos EUA, do lançamento oficial da Parceria para Governo Aberto (tradução para Open Government Partnership - OGP), uma iniciativa internacional que pretende difundir e incentivar globalmente práticas governamentais como transparência orçamentária, acesso público à informação e participação social.

A ideia de criação da OGP foi lançada pelo presidente Obama em setembro de 2010, na 65ª Assembleia Geral da ONU. E o Brasil foi o primeiro país convidado para a Parceria. Segundo Hage, o convite foi motivado pela repercussão internacional de ações adotadas pelo governo brasileiro na promoção da transparência pública, do controle social e da prevenção/combate à corrupção, com destaque para o Portal da Transparência do Governo Federal, mantido pela CGU, que divulga, diariamente, todos os gastos de todos os órgãos federais. Logo depois, foram convidados os outros seis países do grupo inicial.

 

Assessoria de Comunicação Social
Controladoria-Geral da União

voltar para o menu acessível